IGREJA NOSSO SENHOR DO BONFIM

Conforme consta na cópia do livro Tombo da Paróquia Senhor do Bonfim (1962), disponível no Arcebispado de Maceió, desde a criação da Paróquia de Jaraguá, a parte do seu território denominado Poço veio apresentando visível desenvolvimento, com expressivo aumento da população. Em 1866, durante a visita do diocesano Dom Emanuel Medeiros, notou-se a falta de um templo para os fiéis residentes no Poço e Mangabeiras, sendo escolhido, pelo Bispo de Olinda, o local no qual seria construído o templo, e em 1875 foi assentada a pedra fundamental da Capela do Senhor do Bonfim.

No dia 07 de setembro de 1949 foi posta a pedra fundamental, significando o inicio da construção do novo templo. A velha igrejinha, existente na praça do poço, foi demolida em 1946 para dar lugar a nova construção. A antiga igreja foi construída em 1880 pelo Major José Gomes Calaça (LIMA JUNIOR, 1962).

Segundo Lima Junior (1962), o novo templo foi construído em 1954 e instalado em 1963 intitulada Matriz do Senhor do Bonfim, cuja direção técnica seria confiada ao engenheiro arquiteto Joffre de Saint Yves Simon. O projeto apresentava os seguintes elementos: uma nave circular com 20 metros de diâmetro e uma parede concêntrica à mesma, composta de 15 arcos; uma cúpula de 16 metros de diâmetro coroada por outra toda envidraçada com 4 metros de diâmetro, ostentanto no topo a cruz, emblema da fé. A altura total da cúpula é de 17 metros.

Sua fachada principal possui um frontão, em estilo grego, encobrindo o batistério, o pórtico e uma sala. Externamente, uma parede, com arcos simulados, circundando a nave. O altar-mor ficará situado por trás de um arco de grandes proporções e será iluminado por luz indireta. Com naves laterais concêntricas a nave circular retoma a funcionalidade das igrejas românicas.

Em sua fachada pode-se observar cunhais em alvenaria iniciando no final do embasamento e estendendo-se além da cimalha, em sua extremidade encontram-se pináculos em forma de troncos de pirâmide. Seu coroamento apresenta discretas volutas e é composto por três pequenos nichos destinados à locação de imagens sacras. Na parte superior há um adorno simbólico em forma de estrela. Na extremidade superior há uma cruz de ferro com elementos sinuosos na extremidade.

Você pode localizar esta edificação em Maceió através do Google Maps (clique aqui) e também visualizá-la no Google Street View (clique aqui)!

Glossário

Coroamento: Parte superior de um edifício, pode ser composto de um ou mais elementos construtivos.Frontão: Arremate superior de portas e janelas que normalmente tem forma triangular decorando o topo da fachada principal de uma edificação, sendo construído por duas partes essenciais: a cimalha (base) e as empenas (dois lados que fecham o triângulo).

Pórtico: Portal de entrada, cuja cobertura pode estar apoiada em colunas.

Nave: Espaço longitudinal entre os muros ou filas de colunas que sustentam a abóbada das igrejas ou templos.

Pináculos: Elemento que arremata a coroa ou o ponto mais alto de um edifício. Assemelha-se a uma pequena agulha. Foi usado principalmente na arquitetura gótica. Possui função ornamental ou estrutural.

Volutas: Ornamento espiralado, frequentemente encontrado no capitel de coluna ou no coroamento de frontão.

Referências bibliográficas

LIMA JUNIOR, Félix. A igreja do Senhor do Bonfim. Jornal O Semeador, Maceió, 1962.

LIMA JÚNIOR, Félix. Igrejas e Capelas de Maceió – Maceió: Academia Alagoana de Letras, 2002.

Tombo da Paróquia Senhor do Bonfim (1962). Arquivo do Arcebispado de Maceió.


DOWNLOADS
Para Colorir
Projeto