IGREJAS

Estudar a igreja nas ruas da cidade (neste caso, da nova capital alagoana) mostra a força das relações entre a instituição católica e a sociedade civil na Primeira República, podendo-se constatar a clara delegação feita pelo Estado para que a igreja católica continuasse a cuidar as políticas sociais, papel atribuído a ela no período imperial. A atuação da Igreja fez-se visível em diversas esferas da sociedade, entre elas, na produção de uma cultura escolar tipicamente católica (influência que não se restringe ao período jesuítico).

Assim, na nova capital alagoana que se configurava a partir da segunda metade do século 19, as igrejas também foram protagonistas da nova cidade moderna que se configurava, saneada, embelezada, organizada e vigiada. Novos e velhos costumes conflitaram-se, ora defendendo, ora questionando tradições locais e recebendo ao mesmo tempo influências diversas que chegavam graças aos novos meios de comunicação e transporte.