ANTIGA FACULDADE DE ENGENHARIA

As primeiras edificações de ensino superior instaladas no estado de Alagoas, a partir da capital Maceió, constituem exemplares de uma linguagem arquitetônica moderna. Apresentando um vocabulário arquitetônico comum, condizente com os estilos de tônica modernizadora em voga nas respectivas épocas, estas edificações passariam a atestar o “discurso da Modernidade”, evidenciando os novos valores de um mundo em busca de reinventar-se.

Neste sentido, podemos tomar o prédio da antiga Faculdade de Engenharia, dentre todos os exemplares, como aquele que desenvolveu de forma mais legítima os preceitos do Movimento Moderno em sua arquitetura, vindo a compor, dessa maneira, a imagética do bairro do Centro e atuando de forma a dinamizar o seu entorno imediato, composto pela praça Visconde de Sinimbu.

É no início da década de 1950 que acontecerão os primeiros movimentos em torno da iniciativa de fundação da Faculdade de Engenharia de Alagoas. A primeira reunião com este objetivo acontecerá no dia 13 de agosto de 1951, no prédio onde funcionava a Escola Industrial de Maceió, antigo Liceu de Artes e Ofícios, situado na referida praça. Em 23 de dezembro de 1953 é concedida a autorização para o seu funcionamento.

Porém, é somente na década de 1960 que será construída a sede da faculdade, no mesmo lugar da reunião pioneira. O projeto será elaborado pela arquiteta Zélia Maia Nobre, sendo iniciado no ano de 1961 e concluído no ano de 1967. Implantada em lote de três testadas, a edificação apresentará uma volumetria bastante compacta, ocupando toda a extensão do terreno de esquina, sem recuos, tendo seu programa funcional distribuído em dois pavimentos contíguos, dispostos em volta de um pátio central.

Projetado em linhas retas, demarcadas numa composição assimétrica, de predominância horizontal, o prédio apresenta arremate superior em platibanda retilínea, de modo a enfatizar a horizontalidade de todo o pano de fachada. Esta traz ainda como inovação o uso de diversos elementos e materiais emergentes, como o vidro, o revestimento cerâmico bicolor (azul e branco), marquise em concreto armado, peitoril das varandas com gradil em ferro, brise-soleil vertical em concreto, esquadrias em madeira e vidro ou em ferro e vidro, sendo estas últimas do tipo basculante.

Em 1977, o prédio receberá um novo uso, passando a dividir espaço com o Centro de Artes da Universidade Federal de Alagoas. Ainda nesta década, receberá também as atividades relacionadas à reitoria da universidade. Posteriormente à construção do Campus A. C. Simões por parte da UFAL, é efetivada a transferência tanto da reitoria quanto da Faculdade de Engenharia, agora abrigadas em prédios próprios, passando esta última a integrar o novo Centro de Tecnologia. É quando a antiga sede será constituída como Espaço Cultural da UFAL, contando atualmente com os cursos de graduação de Teatro, Música e Dança, além da Pinacoteca Universitária, oferecendo ainda cursos de língua estrangeira abertos à comunidade em geral.

Contígua à antiga Faculdade de Engenharia encontra-se a Residência Universitária Alagoana (RUA), edificação que substituiu a antiga sede da Companhia Alagoana de Trens Urbanos (CATU), sendo também projetada pela arquiteta Zélia Maia Nobre, no ano de 1965, com o objetivo inicial de abrigar a residência universitária masculina e ainda restaurante universitário.

No entorno, são também encontradas edificações de uso empresarial/comercial e residenciais, dentre as quais estão presentes outros exemplares do patrimônio arquitetônico de Maceió, como o Museu Théo Brandão, também pertencente à universidade e a antiga casa do escritor alagoano Jorge de Lima, que abriga atualmente um centro cultural da Academia Alagoana de Letras, compondo um conjunto expressivo em torno da praça Sinimbu, com a qual se relacionam diretamente.

O prédio da antiga Faculdade de Engenharia preserva suas características arquitetônicas originais, embora tenha recebido algumas alterações, de modo a adaptá-lo aos novos usos. Encontra-se inserido numa Zona Especial de Preservação Cultural – ZEP, conforme dispõe o Código de Urbanismo e Edificações de Maceió, Lei Municipal N.º 5.593 de 08/02/2007.

Você pode localizar esta edificação em Maceió através do Google Maps (clique aqui) e também visualizá-la no Google Street View (clique aqui)!

Referências Bibliográficas

AMARAL, Vanine Borges. Expressões arquitetônicas de modernidade em Maceió: uma perspectiva de preservação. 2009. Dissertação (Mestrado em Dinâmicas do Espaço Habitado) – Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2009. 174 p.

CERQUEIRA, Thamires Adelino. Resgatando uma história esquecida: A trajetória de ocupação da antiga Escola de Aprendizes Marinheiros de Alagoas. 2001. Trabalho Final de Graduação (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2011. 62 p.

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACEIÓ. Código de Urbanismo e Edificações de Maceió, Lei Municipal N.º 5.593 de 08 de fevereiro de 2007.


DOWNLOADS
Para Colorir
Projeto